Ações realizadas pela Terapia Ocupacional na Clínica da Gávea

O Terapeuta Ocupacional ajuda o paciente a desempenhar sua ocupação humana, isto é, se refere à forma como essa pessoa compreende através das suas experiências o seu fazer, como o desempenha, e como o significa dentro de suas relações e no seu cotidiano.


A Clínica possui uma estrutura exclusiva para realização das suas atividades.



A Ocupação se desenvolve a partir de atividades que demandam o desenvolvimento de funções executivas como: planejamento, sequenciamento e execução de tomada de decisão.


Ao fazer uso do recurso "atividades", não buscamos ocupar o tempo. Nos utilizamos do recurso “atividades”, que façam parte do repertório e/ou desejo da pessoa, para a busca de autonomia e participação social. Concebendo assim a proposta de produzir saúde integral, ampliada para produção de vida e de qualidade de vida.


Na Clínica da Gávea esse atendimento é oferecido em grupo, a partir de uma avaliação inicial individualizada direcionada para a dimensão particular de cada pessoa.


Conheça nossas ações:


1) Escuta Sensível


Acolhimento através de escuta sensível, mantendo uma postura de observação livre por parte do profissional. Compreendendo que a comunicação vai além da verbalização, expressão, funções executivas, atenção e memória, e se amplia também englobando a experiência sensível, que abre um leque de possibilidades singulares.


Num processo disponível de estabelecimento e manutenção de vínculo do paciente com o terapeuta e com a clínica, na medida da sua aceitação, vão sendo acolhidas as demandas e trabalhados os modos pessoais de enxergar o adoecimento e sofrimento.


O objetivo é, de se construir a partir da intervenção pela experimentação e manipulação de recursos terapêuticos, saídas e estratégias para construção de seu novo cotidiano.



2) Resgate de Papel Ocupacional



Papel Ocupacional, diz respeito aos papéis que capacitam os indivíduos a estruturarem sua participação, ajudando a organizar os comportamentos produtivos, fornecendo uma identidade pessoal, conferindo expectativas sociais, que organizam o uso do tempo e insere o indivíduo na estrutura social.


Na experiência do adoecimento psíquico, dificuldades no estabelecimento de vínculos com pessoas ou situações; na interação social-recíproca; na comunicação; no comportamento e na realização das atividades cotidianas, fazem um somatório que pode afetar negativamente o desenvolvimento e as habilidades funcionais, tanto de ordem comportamentais, motoras, cognitivas e/ou de nível emocional.


Esses fatores afetam nossa organização individual, e a nossa representatividade dentro das dinâmicas que necessitamos desempenhar no cotidiano. Essa interferência e/ou ruptura no exercício de nossa identidade, nos desorganiza a ponto de afetar a referência no mundo, muitas vezes se traduzindo em sinais de não gostar ou não querer fazer nada. Além de causar afetação ao ponto de perdermos a consciência de morbidade.


O principal objetivo do atendimento oferecido na Clínica da Gávea é resgatar o Papel Ocupacional de cada paciente, e por consequência trazer a consciência sobre a valorização e a importância da vida daquele indivíduo no seu contexto familiar e social.


3) Uso de Atividades Terapêuticas


As atividades, são produções do universo cultural humano, e trazem para o campo da clínica um atravessamento que objetiva seu redimensionamento. Ao intervir no processo de saúde/doença através da realização de atividades de caráter terapêutico, estamos sempre inseridos num processo cultural que produziu uma forma de fazer, de saber-fazer, uma tecnologia. Um processo que se dá entre uma singularidade e seu coletivo.


A associação de atividades realizadas no atendimento de Terapia Ocupacional, para deter caráter terapêutico, necessitam ser analisadas, combinadas e/ou diferenciadas antes da colocação em prática. O que significa verificar as suas variáveis, os modos de graduação e adaptação das mesmas. Tudo isso em conjunto com o paciente, que é atuante no curso ao desempenhar no momento de seu encontro com o terapeuta.


Os objetivos desse recurso são: encontrar estratégias para se aproximar e criar vínculos; estabelecer uma troca que permita contribuir para estratégias e adaptações de ordem executiva, motora, neuroplástica, afetiva e social, com vistas a contribuir para a manutenção da sua capacidade funcional e independência.


Também são focos os efeitos da ação medicamentosa, onde as atividades propostas e estabelecidas em conjunto, se direcionam a favorecer e/ou estimular: a volição; a memória; a concentração; a coordenação motora; a amplitude dos movimentos; o manejo da ansiedade e delírios.


Trilhando as suas atividades o paciente tem uma nova visão e a possibilidade de uma nova perspectiva do fazer, que irá auxiliá-lo na execução de seu tratamento, mas principalmente na construção de seu novo cotidiano, reduzindo e/ou freando o curso de perdas funcionais e cognitivas, além de acolher o sofrimento psíquico.



Helen Silva

Responsável pela Terapia Ocupacional da Clínica da Gávea